quinta-feira, 31 de janeiro de 2008

*

Mudanças

Nem sei se era época de chuva ou de aberturas
As flores endoidaram.
Os pássaros souberam: no Sertão vai nevar!!!!!!
Viajaram da Sibéria às caatingas
Não tiveram outra reação
Cagaram e vomitaram nas rachaduras
antes da tempestade começar
Súbito a família tempo apareceu
Todas as gerações e encarnações
vieram de uma só vez,
cada qual com seus marcadores, ferros,

porcas, plásticos, ponteiros,
cordas e badalos
Vieram descendo
de longe era um simples

incômodo auditivo
Mas foi crescendo
E eles vieram: o TIC e o TAC
Tão ensurdecedores
que mataram os carregadores

da vida flora.

O som!

Drumembêis
Zeca Baleiro

em juazeiro salgueiro e petrolina
a noite é uma menina
londrina num drumembêis
tá todo mundo com medo do fim do mundo
mas pior que o fim do mundo
para mim é o fim do mês

quarta-feira, 30 de janeiro de 2008

*

Provocação

Os canais abrem-se
As porcarias invadem
As interessantes ocupam
sua casa, festa, mente ...
Mente o imposto
Impõe o dito,
ditas pela garganta,
empurram goela abaixo
formas incabíveis
- Dor? Que nada!
Nada sente
As drogas entorpecem
A igreja salva
madre Teresa, a escolhida, não é santa
E posso ter horrorizado.

O som!

Zeca Baleiro
Guru Da Galera

deus
nego quer um milagre em cada esquina
na praça a massa reza e desafina
tua palavra santa minha boca canta
para o fim louvar

terça-feira, 29 de janeiro de 2008

*

A Falta

Os temas não esgotaram:
ocorreram diferenças expressivas.
O pensamento toma outras direções.
Digo das resoluções, nem sempre definitivas.
Volte, Bela!
Ainda não posso encontrá-la no exterior.
O tempo urge por criações

e sua presença acanhada
teimosamente interiorizada,

faz-se necessária.

sexta-feira, 25 de janeiro de 2008

*

Vontade
Minhas intenções eram as melhores possíveis.
Não escrevo com o lápis à toa...
Nesta específica página,
se desmanchado for
sua marca ficará.
Amanheci.
Dói-me a garganta.
Nada em você preocupa-me doença.
Tudo manhã.
Sol manhã.
Nuvens manhã.
Lua manhã.
O dia lá fora, manhã.
E eu aqui num esforço neurônico
sem espaço pensante,
sem tempo corrente para dedicar...
Derrubem as quatro paredes.
Desliguem os ares,
condicionados sempre estarão
se assim ficarem.
Quero - mexer - a terra produzir.
Pintar - as tintas colorir.
E fim, mas sem acabar totalmente, pois continua
o brincar, o sentir, o transgredir, o por, o opor, ...
Belos verbos substantivados.

=> não, eu não amanheci doente.
=> o sol é do clip-art.

quarta-feira, 23 de janeiro de 2008

*

às citações
"roncou, roncou, roncou de raiva a cuíca, roncou de fome,
alguém mandou, mandou parar a cuíca, é coisa dos home..."


Podemos até fazer a mística do silêncio das poesias!
Ver em silêncio
o toque pode ser feito em silêncio
fala-se por gestos
Diante de tantos silêncios propostos
seriam apenas corpos desparafusando as portas
silenciosamente, invadiriam nus, a compostura da presença
eles fariam calar os gritos das mãos: o áudio estava garantido
arrancariam da platéia reações sensuais
a quem ou não, de direito naquele momento
uns silenciosamente calados, falariam com gestos,
outros...
O espetáculo foi interrompido!
São interventores como vieram ao mundo!
É o início do fim do teatro Sentimentos do Mundo.

Mando esta pra uma moça: B.



E o som: João Bosco (e Aldir Blanc).

quinta-feira, 17 de janeiro de 2008

injeção na veia

A caixa é destas de iogurte, que cabem 12 bandejas e hoje, contém umas 100 fitas.
As mais antigas são de 14 anos atrás, que contam mais ou menos a metade, vieram como um presente de uma pessoa muito especial. Janis Joplin, The Doors, Zé Ramalho, Helena Meireles, Led Zeppellin, Jethro Tull, Pink Floyd, Geraldo Vandré, Blues, Joan Baez, Ataulfo Alves e outros, e como nossos gostos eram bastante parecidos, várias dobraram, triplicaram.
E caminhando nos anos...
Mais rock, mais música brasileira, outros estilos, outras línguas, sem muito pesar algumas foram sendo desgravadas para darem lugar às plenárias, aos encontros, entrevistas, programas da Santê. Também as herdadas, em vida, de um cara que foi a porta ou a abriu pra mim, e me apresentou outro mundo, música latinas, da África, italianas, árabes, e as que foram gravadas ao longo do período.
Escutar estes sons, é um trem pra lá de bom.
É adrenalina
entusiasmo
doideira (em vários sentidos)
injetados na veia.


Daí, pensei na Pirata Zine, no Marcelo, Pirata, nas várias postagens em seu blogue http://www.zinedopirata.blogspot.com/, onde contou de como surgiu a zine. E ela está aí sendo mantida por ele, Marcelo, Pirata, e não é porque foi para o virtual, que deixou de ter trabalho para continuá-la, mantê-la.
Uso deste canto de caxanga pra dar uma força e falar pra vocês, vale dar, trocar, comprar a PZ, por 20 dinheiros. E sem querer ofender ninguém, pois, bem sei que quando a pitimba bate, 20 reais não é nada de merreca. Mas se se guarda um troquinho aqui, umas moedinhas ali, aquele um real que tava lá no fundo do bolso massagado, junta a merreca dos 20 dinheiros, e pronto, a Pirata Zine tá na tela.

Quem quiser pode seguir as intruções abaixo, o papiro não está tão animado, mas não desanimem por isso, ou no blogue, linque do lado, ou aí em cima .
para assinar e receber a versão imeio da Pirata Zine em sua caixa postal eletrônica, clique no papiro animado e mande um imeio com título Quero assinar a PZ, pedindo informações sobre como efetuar o pagamento de 20 dinheiros por 1 ano de assinatura, ou 24 edições


Este, não tenho nem fita, nem cd ou dvd, seja original ou pirata,
o que seria uma bela aquisição.
De toda forma, o som!!!!!





domingo, 13 de janeiro de 2008

uns mimos

Moacy Cirne, esta vai pra você.


Lembranças do Sertão




Sertão de seca
Sertão diz - Êta!!
Sempre seco
Nunca molhado
Diante de tanta secura
Pingos pingam
Desistem e voltam
Sertão seco
Sertão molha
Ser tão feliz!
(98)
Um som!



Tenho uma caixa de fitas gravadas, que há muito tempo estavam encostadas, por falta de um toca fitas que as tocasse. Problema resolvido e o troço funcionando, abri a caixa. Que maravilha!

Uma delas do Zé Ramalho, tem várias músicas deste disco e de outros, também.

Esta poesia trouxe lá do Professor Marcelo,http://www.resumodachuva.blogspot.com/ .

Domingo, 18 de Novembro de 2007
Esta letra de música faz parte dos grandes sucessos de um conjunto que nunca existiu, mas fez muito estardalhaço no éter.
Portanto, abro espaço para a (verdadeira) discoteca dos sonhos:


Chuva vai varrendo
Essa saudade que insiste em ficar

Escondida do vento (que é tempo)
Que chia chamando a chuva
(Pra afogar a saudade que insiste)

Chuva que chega chorar
Compartilhando do Amor distante
Lavando essa coisa em meu peito
Que pesa e não diz a que veio

Chuva que ofusca esse sol de ser-tão
Molhando as palavras de dentro
Sempre esperando o que é belo
Romper em sete cores

quarta-feira, 9 de janeiro de 2008

*

As Vidas Secas

São tocos de braúna e arame farpado que demarcam as terras.
Os seres seguem na procissão, vão muntados nela, oras!
De um lado, a parafina quente escorre queimando
Do outro, o ferro pontiagudo sangrando
E não muito longe dali,
a carcaça dum boi vê com seus buracos
o abutre se deliciar com os olhos da Baleia.
- Fabiano, pobre animal Fabiano!
Com sua Vitória sob o baú,
seguem pelo Sertão à caça do cheiro da chuva.

* este asterisco será o ponto comum entre as poesias, poemas, escrtios, que faltam, e acertado os anteriores, do concurso.



Som!


Um Filho e Um Cachorro
Composição: Zeca Baleiro

Já tenho um filho e um cachorro
Me sinto como num comercial de margarina
Sou mais feliz do que os felizes
Sob as marquises me protejo do temporal

sábado, 5 de janeiro de 2008

Esta postagem é da Clarice
do blogue http://naofosseisso.blogspot.com/.
E num momento,
as palavras foram dar uma volta.

os quatro compromissos

1. seja impecável com a sua palavra.a palavra tem um grande poder, que deve sempre ser usado na direção da verdade e do amor. use-a com integridade e evite usá-la contra você mesmo ou sobre os outros. cumpra sempre suas promessas e assuma sem culpas a responsabilidade por seus atos e escolhas.

2. não leve nada para o lado pessoal.os outros não fazem nada por sua causa, o que eles dizem e fazem é projeção de sua própria realidade, do seu próprio sonho. cada um vive num mundo diferente, e não podemos presumir que os outros conheçam o nosso mundo. mantenha-se imune às opiniões e ações alheias, evitando assim ser vítima de sofrimentos desnecessários.

3. não tire conclusões.seja corajoso e pergunte aquilo que realmente deseja saber. comunique-se o mais claramente possível e evitará mal entendidos, tristeza e drama.

4. dê sempre o melhor de si.evite autojulgamento, arrependimento e culpas. seu melhor pode mudar de momento a momento, de acordo com as circunstâncias, mas quando você faz sempre o seu melhor, pode dormir com a consciência tranqüila. é a ação que faz a diferença.

(ensinamentos fundamentais da tradicional sabedoria tolteca para a conquista da verdadeira liberdade pessoal, por don miguel ruiz, cirurgião e estudioso mexicano de ascendência tolteca)

minha resolução para 2008 é tentar manter isso sempre em mente. pode parecer simples, mas se fosse o mundo estaria bem melhor!

Clarice

O SOM!

Óia qui eu gostcho di iscuitá ess mineirinho. Minina, mas qui trem bão!

Balaio que arranca mas não vai
Diga lá, Seu Motô, Quer que eu vá a pé?
Ê Balaio, que balança mas não cai
Não me empurra! Não pisa no meu pé!

sexta-feira, 4 de janeiro de 2008

das tentativas

Uma camiseta, com um neurônio no centro fazendo-se de flor, foi uma das tantas que pintei em troca de uns trocados, e ela foi das que não agradou muito.
Diante das várias interpretações da pintura, resolvi explicar.
A explicação foi parar no


1º A + J + U + N + T + E
D + E
L + E + T + R + A + S
PESSOAL

Florônio

Ninguém entendeu aquele buquê sináptico
com corpo celular e pétalas dendríticas
amarrados com bela fita ao caule axiônico.

É neurônio, fiz-te flor.
Na cabeça de quem andarás?
Num desplante chegaram a comparar-te
c’um ovo frito.


Pois bem, o som!
Tenho uma fita k7 com dois discos, vinis, gravados do grupo The Moody Blues, banda inglesa da década de 60, só que a fita não tem nome, nem das músicas, nem dos LPs de onde vieram, apenas o nome do conjunto. Mas tem uma música que não esqueci seu nome, Lost in a Lost World.

Que 2008 seja a realização de muitos sonhos por aí, aqui, lá e acolá.