terça-feira, 19 de julho de 2011

um verso branco

que com prazer trouxe lá do viagens de luz e sombra de Jorge Pimenta.


deixei o poema na tua mão.

para que mo pediste
se te demoras em pontes inquietas
aguardando a passagem dos rios?
eu sei, não queres correr
e todas as decisões
são apenas poeiras inúteis na superfície do ar.
que tudo passe, que tudo leve e transforme
diante das orbes frágeis dos olhos,
desejas,
mas nem isso consegues dizer mais alto do que medo
porque todas as palavras vivem dos segredos
e do que não deixas entender.
há em ti um modo secreto de tudo dizer
e um instrumento barroco a dourar-te o silêncio
como se respirassem nele as verdades da escrita.

deixei o poema na tua mão.

enlouqueço na apatia das letras
e estremeço na letargia dos sons
porque esqueci de que cor é o lírio da tua voz.
 já não sei escrever
e os meus lábios adoeceram no frio da canção
enquanto o mel da criação
funde os sexos numa massa mole
que se desprendeu da árvore
e apodreceu na mão do criador.
até os deuses parecem figuras menores
com existência digital
entretidos a pôr laços pretos nos pescoços dos homens.

mas, olha, não desisti de saber
onde escondes o pêssego maduro
que atravessa os ossos esquecidos
enquanto o corpo treme
acendendo a poeira e todas as promessas sem roupa.
porque a vida é a minha sentença,
rejeito as pálpebras do mundo
e as cortinas onde se escondem os desejos transparentes.

Jorge Pimenta

5 comentários:

Assis Freitas disse...

salve Jorge,


beijo

Jorge Pimenta disse...

querida vais,
venho aqui espreitar por cima de uma persiana fechada, neste mês de julho insone, apenas para te dizer que fico radiante e muito emocionado por me teres querido aqui, neste teu lugar para mim de romagem obrigatória.
prometo regressar, assim que o calor deste julho laborioso mo permita.
um beijinho!

Vais disse...

Legal, Assis,
Salve Jorge
Salve Assis

beijinho


***********

Êta Jorge, que fiquei foi num encabulamento só com este seu comentário, me sinto honrada de trazer uma escrita sua tão bonita e muito agradecida por sua presença, venha sempre que rolar pois ter você aqui é um prazer.
Beijos pra você cheio das energias neste julho laborioso
inté mais, então, querido Jorge

Cris de Souza disse...

dá gosto de ver!

onde tem pimenta tem banquete de primeira linha.

Vais disse...

Cris, e você é convidada especial ou nem precisa convite, já é de casa com mucho gusto

beijos, querida