quarta-feira, 6 de agosto de 2008

ir manas

três flores

o jardim de amigos tem vasta vegetação e no meio dela há três flores. uma doce que quase desmancha. outra forte e bela. e aquela esguia, haste flexível, inquebrável quase. cada uma carrega seus espinhos e nuances destacadas. é com amor que elas se olham. cada uma equidistante. a flor bela foi pro norte, virou vitória régia. e nada agora no rio turvo que não perene. as outras se entristeceram, mas são fortes e torcem para o rio calmo chegar logo. a outra quer um passarinho ou borboleta. semeia nela. traz do vento a semente rápida. traz pro ventre. tem doçura demais na espera. a terceira está comprimida. uma grade alta ou tela trançada cresceu em sua volta. mas o jardineiro logo vai ver isso. tem amor demais nesse campo florido de três espécies. é flor.

Beijão Nandecas, Jajá e Regis.

O Sommmmm!!!

Apesar da capa aí do lado, toda linda, tenho é uma fita deste disco, e como escutei e ainda escuto esta fita.



Beijos.

2 comentários:

Moacy Cirne disse...

Uma bela fábula. Quanto ao disco, não o conheço. Abraços.

Vais disse...

Olá Moacy,
bão? gosto do jeito que a Jajá escreve.
Quanto ao som, experimenta que é bom, ahah, vai depender do seu gosto. É uma banda inglesa do final da década de 60, começada pelo vocalista, flautista, prendado o rapaz, Ian Anderson, + os outros da banda, e tem uma foto dele com a flauta, que a primeira figura que me veio foi um fauno, eu gosto.
beijo