domingo, 31 de março de 2013

1/4 de página



Estava parada no ponto. Esperava o ônibus passar. Olhei para o lado e vi o rapaz que vinha. Ele usava uma bolsa a tiracolo na altura do estômago com muitos papéis, que ia tirando e entregando aos passantes. O rapaz vinha de óculos escuros e tateava o chão com sua bengala, pegando um papel e dando... Reparei as pessoas que pegavam, ela liam e voltavam os olhos, primeiro para o moço que ia, depois olhavam para o chão. Quando chegou mais perto, andei até ele e peguei um dos papéis. Li.
 Fui atrás dele e perguntei:
_ Ei, olá, posso te ajudar a distribuir?
_ Ei, olá, sim, claro que pode! Disse ele me passando um tanto e perguntou se eu queria mais.
_ Não, tudo bem, aqui dá, vou guardar alguns para copiar. Então tá, boas distribuídas pra você e tudo de bom.
_ Tá bom, tchau então, tudo de bom pra você também e obrigado.
Saí distribuindo os papéis, mas fiquei com quatro para montar uma página. Quando terminei vi meu ônibus chegando, dei sinal e entrei.

4 comentários:

sandra camurça disse...

bacana isso, Vais.
e o rapaz era cego...
beijo

Vais disse...

lindo, né Dona Moça

beijão

Assis Freitas disse...

toda asa procura uma casa, não é acaso



cheiro

Vais disse...

:)

um chêro