quinta-feira, 6 de setembro de 2012

o que toca

grades nas janelas. nas portas, madeira abre, ferro soldado fecha. televisões em jaulas. êta século XXI!! nas beiradas dos muros, espirais afiadíssimas. no alto dos portões, fios altamente condutores. pense: você está sendo filmad@. arames farpados são tão antigos nos tocos de braúna! mas os dispositivos modernos, ultra modernos dão garantia. êta civilização evoluída!!


Outro dia martelei o dedo. Interjeição: um baita palavrão.
É seguro o envolvimento. A resistência do feixe é mais garantida. Mas feixe não há, há que ser construído. O despertar é fraco e a batalha é maior. A força do graveto somente é pouca. O efeito é lento, se há. Mas há que se, mais e mais. Uma quantidade de energia reservada às canalizações. O dinheiro não vale o tempo, tempo dedicado sem massa no ouro e se peso fosse, nem assim. É seguro o envolvimento. Injetado que foi, direto na mente, certeiro no coração. Lateja no peito. Pulsa na corrente. Envolve, envolvo, penetra, entranhado, imantado. Como um imã, puxa, atrai, gruda. Arrepios. Emoção pura.

6 comentários:

Assis Freitas disse...

a força do graveto: a explosão dos mínimos,


beijo

Vais disse...

há que se aumentar o raio

beijinho, Assis

euza noronha disse...

querida de tantas saudades... este seu texto está visceral. e pode ser aplicado a todas as situações limites que vivemos - até porque, em todas há interjeições!
um beijo. é muito bom te ler. que eu possa continuar fugindo sempre prestas bandas

Vais disse...

bem que merece

AAUUUUUUUUUUUUU!!!!!!

Bom mesmo é te ter prestas bandas
e sabemos que nada é tão fácil assim e que são grandes as batalhas.

beijos no ♥ querida Euza, sempre uma Loba arretada

Daniela Delias disse...

Texto pulsante e belo!!!

Bjos, Vais querida!

Vais disse...

Muchas grácias, Daniela

beijos pra você também, moça bonita