quarta-feira, 18 de abril de 2012

aqui, Cazuza, Ney


O que foi

Quero voltar, só que bem lá no fundo algo se perdeu.
Achei o que era pra ser descoberto, depois de tantos esforços e tantos quereres, sei que não dou pra ser.
A gaveta, a parede, o chão, o cimento,...
Não amenizo a concretude dos objetos.
Mesmo que na suavidade do ar, mesmo que na água orvalhada, gotículas pela madrugada, na verdade nunca era pra ser aquele sorriso leve e suave.
Já me disseram que tenho os olhos tristes, que há tristeza no meu olhar, e é causa desta tristeza que não consigo, já tentei, eu juro, mas não sai, porém não desisto, vou exercitando e experimentando.

 Ney Matogrosso - Poema 


Sigo na continuidade de ajuntar palavras, não como, fosse outra, talvez sim, mas não, não, não é assim que funciona.
Tão calada, alienada era.
As palavras entravam por um e saiam por outro, dizia o pai.
Na lembrança o Piaget e o cachorro salivando.
Dona Elza da Geografia colocou apelido, avoadora 1 ou avoadora 2, mas dava a colorir mapas e ficava queimando ao sol, tal qual uma roupa quarando.
De frente, e a vó Bioua:
_ Deeeeca! Sai do sooool! Tá queimando a carinha!
De costas, e a vó Bioua:
_ Deeeeca! Sai do sooool!  Vai cozinhar os rins!

Ney Matogrosso - Porque que a gente é assim?


A suavidade das manhãs vendo o céu se esvaindo da escuridão da noite, dando lugar ao azul.
O sol nasce na região oposta, esta coloração não me chega.
Daqui pelo asfalto, quase sempre, miro o poente, amarelo, laranja, vermelho, rosa, roxo, violeta, vermelho, ver me hei o veio elo.
O sol se indo, o claro azul, as condensações alvas que se tonificam, rosa amarelo, roxo, laranja, vermelho, violeta, até que toda a imensidão negra fica, coberta de pontas que brilham.

E ainda é.

5 comentários:

Assis Freitas disse...

tão arco, tão íris, conjunção



beijo

dani carrara disse...

"...roupa quarando."


às vezes, né, vais, lemos
e é tão parecido com tudo nosso.


tem uma tristeza muito bonita no olhar de roupa quarando. e de sol.


beijo

Jorge Pimenta disse...

haverá maior poesia do que ter os olhos tristes? e eu sorrio, porque [te] canto.

beijo, vais!

Cris de Souza disse...

cantei e fui tocada!

beijo pra lá de colorido, vais querida.

LauraAlberto disse...

cheguei a ter medo

mas descobri que ainda aqui estás

bela escolha a do Ney, gosto dele desde os meus tempos de menina

beijinho