sexta-feira, 1 de julho de 2011

os 10 primeiros

poemas de Assis Freitas que com satisfação trago e que estão na página http://mileumpoemas.blogspot.com/ .


1 - A imagem

no quadro
quadro a quadro
os teus seios
sempre pintavam
em cores reais

enquanto
rabiscavas
o céu de ficção

2 - a outra imagem, a do espelho

pelo presente
instrumento 
particular 
de decisão 
indefiro o 
poema e sigo 
só com a vida


3 - manjar da manhã

o olhar já se refez
da última tempestade
mas ainda permanece
ancorado em teu seio


4 - poema de circunstância

o poema não nasce torto
são as palavras que se
desconfiam unidas amiúde
e não satisfeitas
querem se fundir em espanto


5 - Poema em contínua rédea

Entre cravos e claves 
Vaguei o indefinido
espaço que me davas

Sou nada nesta estada
E perscruto o amanhã
Com inefável precisão


6 - Venho deste raso caminho

Desde este raso caminho
Não ter pedras e passos
Apenas sangue e tédio


7 - deslizante assimetria

alvoreceu em líquido presságio
a intermitente face desse amor


8 - à deriva

do sobressalto à razão
não passou de um minuto
aquele instante mágico

tu já se ias sorrindo
eu ficava remoendo desejos


9 - poema do encontro

queria escrever um poema
sobre Cortázar e Borges

um poema pervertido em
espelhos e mancúspias
um bestiário de punhais

poema sem qualquer final
com os versos em silêncio
brando, branco


10 - sonata vespertina

a relva incandescente
floresceu nos lábios
e
em gozosos sabores
deitou-se em orgasmos


4 comentários:

Assis Freitas disse...

mulher, tu foi recuperar essas coisas do baú,

beijo e gracias

Vais disse...

Home, ô sô, vou usar uma expressão que usamos, a Júnia deu uma força e fui desencravar, e adoro essas coisas dos baús
eu que agradeço a satisfação de trazer pra cá
beijo meu
querido Assis

Cris de Souza disse...

assis é mestre! só me resta aplaudir...

beijos nos dois.

Vais disse...

Concordo com você, Cris, é de apreciar e aplaudir

beijos mis pra ti