quarta-feira, 13 de abril de 2011

Tirei a máscara. Deixarei lá, por pouco tempo, a que está pegada à cara. O vermelho do fundo, em outro tom, joguei-me nos fios grudados ao couro que descem finos às conchas da escuta e chegam ao cilindro dos arrepios. À luminosidade artificial nota-se uma nuança. Falha o realce virtual. Porém ao sol só parece incendiar.



Saudações em todas as línguas e gestos!

.

4 comentários:

sandra camurça disse...

Menina, tu fala umas coisas, eu não entendo nadinha,rs... mas gosto demais. A máscara é linda mas confesso que gosto mais de te ver, lindinha!

Beijos

loba disse...

yes!!! esta máscara vermelha é demais, mas nunca será tão demais qto a que vc não pode trocar! rs...

Manuella Epaminondas disse...

hummm!!
Blog lindo...

http://manunatureza.blogspot.com/

Vais disse...

Olá, Manuella,
seja bem vinda, moça
grata pela visita e pelo lindo
volte sempre que rolar
abraço pra você