segunda-feira, 25 de fevereiro de 2008

uuuuugh!

Esta foi a melhor expressão que achei , numa revistinha do Chico Bento, para mostrar o som feito depois de um soco na boca-do-estômago.

Reduzir

Consiste basicamente em diminuir a quantidade de lixo gerado, desperdiçando menos e consumindo só o necessário, sem exageros.
O que posso fazer para REDUZIR?
A prática de reduzir já pode estar presente no ato do consumo! Antes de ir ao supermercado, faça uma lista do que você precisa, isso ajuda a diminuir o excesso de compras por impulso. Observe se as embalagens dos produtos podem ser reaproveitadas ou recicladas, e dê preferência aos refis. Observe se a quantidade de alimentos levados é compatível com o consumo em sua casa, para certificar-se que eles não vão apodrecer ou passar do prazo de validade.
Escolha produtos com menos embalagens. Muitas vezes vemos uma caixa contendo vários pacotes de biscoito, que por sua vez contêm porções individuais separadas em saquinhos, por exemplo. Há mesmo necessidade de tanta embalagem? Para biscoitos e cereais, uma boa dica é a compra de produtos a granel. Na hora de embalar, utilize o mínimo de sacolinhas plásticas necessárias. Se for possível, leve sua própria sacola de compras.
Sempre que possível, prefira usar pratos, copos, xícaras e talheres não-descartáveis, que podem ser lavados e reutilizados inúmeras vezes. Pela mesma razão, evite consumir em fast-foods, que ainda trazem canudos, sachês de temperos e saquinhos com guardanapos.
Um hábito infelizmente muito comum hoje em dia é o uso exagerado do papel. Pense bem se você precisa mesmo imprimir tudo o que imprime, em vez de salvar no computador, ou gastar uma folha inteira de caderno pra anotar um telefone, ou um recado curto, por exemplo.

O som! Vamos bater hoje de meia fita, esta é velha, gravada de um vinil, este aí da figura, uma preciosidade que faz parte de alguns vinis da propriedade de um primo, que eu cresço o olho pra cima deles.

Jeff Beck Group
Truth
1968
Álbum de estréia, participavam do grupo:
Jeff Beck, guitarras
Rod Stewart, vocais
Ron Wood, baixo
E no disco:
John Paul Jones, órgão em uma das canções
Nick Hopkins, piano
Mick Waller, bateria, substituto de Aynsley Duncar, que saiu da banda um pouco antes das gravações.

6 comentários:

Jens disse...

Bela campanha, combativa Vais. Mandando bala pra baixo contra as falanges do mal (no caso, os predadores do meio ambiente). Dou força.
Um abraço, um beijo e uma boa semana.
Arriba!

Marcelo F. Carvalho disse...

Tô com o Jens. Belíssima campanha!
J. Back disse não ao Pink Floyd quando o Pink o convidou para ser da banda... Sacanagem... Queria ver o Jeff solando no Pink (que eu amo)...
_____________________
Abraço forte!

Moacy Cirne disse...

Um texto necessário. É o mínimo que se pode dizer. Continue na luta. Um abraço.

sandra camurça disse...

Vais,
tou gostando do politicamente/ecologicamente correto, é isso aí!
Ah, não conheço o som do Jeff Beck. Mas se é de 1968 (ano em que nós nascemos, ano do maio de Paris) deve ser maravilhoso. ;-)
Beijos.

Jean Scharlau disse...

Oi, Vais,
Acho que a gente tem que melhorar o mundo ao nosso redor sim, certamente. O que não podemos permitir é que nos induzam a pensar que a responsabilidade é em maior parte nossa, da população, como muitas vezes programetes na Gorda Mídia fazem parecer.

A responsabilidade maior, imensamente maior, é das grandes corporações, governantes, a própria Gorda Mídia, pois engordam no consumismo e estão se 'lixando' para o lixo, poluição, contaminação e esgotamento de e nos recursos naturais.

Coleta seletiva deveria ser a ÚNICA coleta DIÁRIA de lixo nas cidades.

Deveria ser estimulado o MERCADO com INDÚSTRIA e COMÉRCIO para os recicláveis e orgânico, com subsídios PÚBLICOS e PRIVADOS, impostos ou taxas percentualmente maiores para os mais poluidores, isenções fiscais e prêmios para a indústria e o comércio da despoluição. Aí sim a população se mobilizaria a participar, ao ver que quem tem 95% da responsabilidade pela situação a assume, de boa vontade ou por obrigação. Infelizmente vivemos tempos de new old libertinagens e decadência.

Ainda assim, repito, é bom para nós mesmos que melhoremos o pouco do mundo à nossa volta que conseguimos alcançar. Boas dicas deste aqui para fazermos isso.

Abração!

Pirata Z disse...

a Clarice - e a natureleza, claro - não poderiam ter encontrado melhor aliada do que tu.
besito meu