quarta-feira, 1 de maio de 2013

escrito anos atrás

durmo
em meio a odores de cravo e canela
e pólvora ingerida
numa nostalgia das manhãs frias
vistas pelas janelas fechadas: - painéis dos cafezais
montanhas e girassóis

4 comentários:

Assis Freitas disse...

o que sopra de nostalgia
o vento nos inventa



beijo

Vais disse...

e que inventa
venta dentro e fora
um sopro levanta
leve leva
move nuvens
nu - vens e vais
não teve jeito
vi a jei

beijo

eurico portugal disse...

a saudade: amar sem palavras!

Vais disse...

assim só, em silêncio, em ausências

beijos