sexta-feira, 30 de março de 2012


lua e vênus daqui do terreiro

Nem era tanto para vir aqui, o que resolvi, vim escrever do ardido nos olhos.
Meus olhos ardem, estão vermelhos e ardentes, pisco muitas vezes. As glândulas fabricam e jogam nos canais, chegam à superfície o líquido e os globos se enchem, mas nada cai, estão secos e absorvem a umidade.
As palavras me causam ardência nos olhos, ardor, ardor.
Após tantas e tantas horas que se passaram, forço, forjo uma entrada.
Miro o que há, vejo o que é e não falo nem um a, nem pra gosto ou desgosto: muda.
E os finos vasos salientes dão aquela coloração rubra ao branco, alteram o tom do castanho.
Falo da imagem que não faz parte, à parte. E a imagem sem pouso nem pose causa em e anti: patias partias parti.
Normal, pois é assim mesmo.
À força nada presta, mas para carregar uma geladeira, a força é bem vinda, ou empurrar.
Unidades de medida: de massa de peso da gravidade na lua flutua.
E paro pra sentir ardume nos olhos.
Desço as pestanas pra ouvir um som.  


O Som!!!!!!

Ney Matogrosso - Veja bem, meu bem


*** Ney Matogrosso é um delírio *** 

4 comentários:

Marcello disse...

"Nem era tanto para vir aqui...", mas veio, e veio de com força.
Veio pra mostrar a Lua e Vênus (quem tiver olhos pra ver, que veja), veio pra dizer dos olhos vermelhos (quem tiver ouvidos pra ouvir, que ouça).

Abraços

Jorge Pimenta disse...

adoro sentir ardor nos olhos: a fogueira está próxima.

ney matogrosso é, para mim, dos maiores em língua portuguesa.

beijinho, vais!


p.s. depois da explosão ocular, impõe-se a aplicação do colírio do sono :)

Assis Freitas disse...

as palavras e suas ardências, os sentidos tomam emprestado a sintaxe



beijo

Vais disse...

Ei, Marcello,
falando, escrevendo em força, foi o que senti no seu comentário, êta trem!
grácias pela presença das palavras

abraços pra você também


*************

Uai, Jorge, só tem que tomar cuidado é pra não queimar, deixe que a fogueira venha, então e se queimar é cuidar pra sarar

Este moço Ney é puro espetáculo, adoro

ps: te conto que mesmo na vertical relaxada dos músculos o colírio do sono demora a fazer efeito

beijinho, Jorge



************

Sabe, Assis, e em momentos a falta delas
gostei dos sentidos que tomam emprestado, rendeu pensamento

beijo pra você