domingo, 22 de março de 2009

Consideradas despedidas




Continuarei vendo, lendo, e por vezes deixando um olá, um ei, um alô, umas saudações...
Inté mais, então...
Beijos.

quinta-feira, 19 de março de 2009

Tá amarrado!

Marlene mulher. Marlene mãe.
Tornou-se...
Marlene é muito mais do que uma evangélica.
Marlene brinca e conta histórias.
Marlene não pôde concluir o último ano.
Marlene perdeu a formatura.
Marlene foi ralar num chópim.

Durante vários dias de três anos, remunerada, não explorada, a Marlene esteve dando uma força nos afazeres do barraco.
Um dia ela conta das conversas com as colegas, e fala que cita sua ‘patroa’...
- Ãããããããããh?????? Sua o quê? Péraí, cê tá querendo me matar, é?
- Uaaaai, por que?
- Olha Marlene, sua mocréia, eu definitivamente não sou sua patroa, sabe por que? Porque patrão bom pra mim, é patrão morto. Cê pára com isto, viu!?
- Tá amarrado, em nome de Jesus!
- É, filhinha amada, amarra mesmo!



Considerações

Criamos nossos próprios blogues, e fora os coletivos, os individuais também, são geridos por indivíduos, o quê não conta pra um coletivo, se o amigo ou a amiga souberam a senha.
Então assim como eu, como ela, como outro (não resisto a um canibalismo palavral), indivíduos, temos, meu blogue, blogue dela, seu blogue.
O Recanto e o Canto são meus blogues, e vou perdendo esta estranheza da exposição íntima do eu, em alguns momentos.
São as páginas abertas às visitas. Os campos em cores, com suas janelas brancas, vazias de letras, preenchidas a gosto do desejo, até mesmo pelos inconvenientes HERE, que são jogados na lixeira, ou não preenchidas, também à vontade.
É a minha aberta, o meu aberto.
E se não há restrições, estão todas abertas e/ou todos abertos , tal qual muitos livros com suas páginas a mostra em uma imensa mesa.

terça-feira, 17 de março de 2009

A conversão da língua

Em algum mês iniciante do ano passado.
Estávamos na sala e era tempo da Marlene ir em boa hora. A Júnia Liz brincava, eu bordava. A Marlene senta com a Elena Liz no colo para se despedir. Tiau daqui, abraços, tiau dali. A Elena, de beijo começa a lamber o rosto da Marlene, e ela:
- Lelê, pára! E riu
E eu:
- Leninha, pára com isto de lamber! Comecei a rir.
A Júnia:
- Pára, Lena! Começou a rir.
E a Elena Liz querendo lamber e a Marlene não querendo deixar. Então a Marlene solta:
- Sangue fogo Elena! Tem que converter essa sua língua!
Nisto, eu rachava de rir – ah, tá, né Marlene!-, a Júnia ria, e a Marlene conseguiu desgrudar a Elena, levantou, deu tiau, até, e foi-se.

sábado, 14 de março de 2009

um som!

Este faz remexer.

Veja Bem, Meu Bem - Ney Matogrosso
Composição: Marcelo Camelo


Veja bem, meu bem

Sinto lhe informar que arranjei alguém
pra me confortar.
Este alguém está quando você sai
E eu só posso crer, pois sem ter você
nestes braços tais.
Veja bem, amor.
Onde está você?
Somos no papel, mas não no viver.
Viajar sem mim, me deixar assim.
Tive que arranjar alguém pra passar os dias ruins.
Enquanto isso, navegando eu vou sem paz.
Sem ter um porto,
quase morto,
sem um cais.
E eu nunca vou te esquecer amor,
Mas a solidão deixa o coração neste leva e traz.
Veja bem além destes fatos vis.
Saiba, traições são bem mais sutis.
Se eu te troquei não foi por maldade.
Amor, veja bem, arranjei alguém
chamado saudade.

E na boa, quebra tudo.

********************************

Vai um beijo carinhoso estalado na bochecha do Jens, Sandrinha, Professor Marcelo, Moacy, Loba, Cecília, Belle e Soninha.

quarta-feira, 11 de março de 2009

está aberta

até os poros
as entranhas
as fendas
até todos os sentidos
até às últimas consequências

tal qual a ferida
aberta
que forma a crosta
a pereba
que é retirada
que se torna
carne ferida
aberta

cicatriza um dia

a leitora com seus aparelhinhos
medidores das energias
falou da ferida
na curva da omoplata esquerda
aberta
anos atrás

gaze, bandeidis, esparadrapos
ou
um durex estratégico
grudado num pedaço de algodão
adiantam

ferida interna
aberta
há alguns anos
um dia ela cicatriza

domingo, 8 de março de 2009

para algumas mulheres

imagem:net
Para todas as mulheres que se fazem
mal amadas
passivas incompreendidas
para as depreciativas do próprio gênero
as enrustidas
para aquelas que almejam a envergadura da vara
para aquela que disse:
'piorou, foi só colocar mulher'
que elas encontrem nos caminhos
sem a ditadura da beleza e da estética
homens maravilhosos
belos amantes das mulheres
e também
mulheres sedutoras que darão prazeres
mulheres amantes
que se achem nos caminhos aonde o desejo pulsar

sexta-feira, 6 de março de 2009

uns pequenos do desabrochar

com essa história de AI
de computadores no útero dos cientistas
só espero que não nasça o cinco
.
.
Carreiras que fissuram:
Dom Pedro gritou: independência ou morte!
.
.
Fatalidades
hoje penso
no dia que precede
o dia do fim
este dia
será amanhã
.
.
As soluções
É um jogo
com seu problema de achar pares
.
.
Invente as conversas
...?
escrevo,
por ser menos complicado
ainda estou
na aprendizagem da fala.
.
.
bancos sob sombras
até as árvores velam
por aquelas mortas
.
.
filmes antigos:
sonhos em preto e branco